A APRENDIZAGEM E O CURRÍCULO

O Projecto Educativo do Colégio valoriza um processo de aprendizagem assente numa perspectiva sócio-construtivista. Neste sentido assumem especial relevância as aprendizagens significativas, fundadas numa perspectiva interdisciplinar e holística do conhecimento, promovendo uma apropriação individual e cooperada dos saberes, construídos em diálogo com os diversos agentes educativos numa apropriação progressiva dos instrumentos culturais próprios de cada área do conhecimento humano.

 

Entende-se, assim, o processo de ensino-aprendizagem, como um processo diferenciado, tendo como referência a apropriação do currículo comum (Orientações Curriculares para a educação Pré-escolar, programas do 1º ciclo do Ensino Básico), mas desenvolvido de modo diferente por cada aluno, na sua especificidade. No contexto da sua sala ou turma, cada criança/aluno desenvolve um percurso próprio de aprendizagem num dialogo regulador com os seus educadores e professores, assim como com os seus pares. Este espaço de aprendizagem é alargado e complementado por outros espaços dentro e fora do colégio, na comunidade próxima e mais distante, incluindo o espaço virtual.

 

O Colégio desenvolverá, assim que tiver consolidada a sua comunidade educativa (docentes e crianças/alunos) o Projecto Curricular de Escola (PCE) próprio e específico, que mobilize a comunidade educativa responsável pela sua aplicação. Se o PCE do Colégio é o núcleo duro que contextualiza o currículo nacional ao Colégio da Fundação Alentejo, tendo em conta também o seu Projecto Educativo, os Projectos Curriculares de Turma (PCT) operacionalizam-no em função de cada grupo específico de crianças/alunos e é elaborado de acordo com o perfil desse mesmo grupo/turma pelos profissionais de educação que trabalham directamente com os mesmos.

 

O Projecto Educativo não pode, contudo, deixar de propor uma metodologia de referência, como linha orientadora para o desenvolvimento dos restantes instrumentos de gestão pedagógica do Colégio, a qual seja coerente com os seus princípios e valores e permita operacionalizar de forma optimizada, o modelo de aprendizagem que assume.

 

Assim, como metodologia de referência o Colégio privilegia a Metodologia de Trabalho de Projecto, a qual pressupõe uma estratégia de participação activa das crianças, em grupos de interacção intergeracional, e coloca o educador e a criança como parceiros. Com esta metodologia procura-se promover a capacidade de resolução de problemas (constituinte da resiliência) com base em processos criativos, a autonomia e responsabilidade, bem como a comunicação, e cooperação, no sentido da concretização de projectos empreendedores e de intervenção solidária na comunidade.

 

A metodologia de Trabalho de Projecto perspectiva a aprendizagem como um processo interactivo em que existe uma negociação entre o educador e as diferentes crianças, que dinamiza novas motivações e interesses, e promove percursos de crescente autonomia e agência (agency).

 

Através do diálogo, trocando ideias, formulando questões, levantando hipóteses, as crianças definem as etapas que julgam necessárias para realizar o trabalho. O educador proporciona recursos variados, mobiliza a comunicação, ajuda a criança ou o grupo a desenvolver a iniciativa, estruturar os conhecimentos, a especificar os seus planos, a organizar o pensamento e todas as formas de comunicação (linguagens múltiplas).

 

Entende-se, assim que a metodologia de Trabalho de Projecto para além de integrar os interesses e motivações das crianças, os seus saberes e experiências, pressupõe o exercício de cooperação, de partilha e de entreajuda na interacção educativa. Ainda, uma das aprendizagens mais significativas que a o trabalho de projecto promove para além dos conhecimentos sobre um assunto específico, é segundo Lilian Katz (1997) o desenvolvimento de competências, predisposições e sentimentos que lhes permita aprender a aprender.

 

Através da vivência desta metodologia, as crianças vão-se tornando progressivamente mais competentes em conceber, planear, desenvolver, avaliar e comunicar projectos. Mais ainda, elas aprendem a conceber-se como alguém com competências para aprender e intervir no mundo que a rodeia.